Arquivo TP: O gosto amargo da despedida de Harry Potter

Essa coluna foi escrita e postada no Twittpotter 20 dias antes do último lançamento de Harry Potter nos cinemas. Postaremos aqui com a finalidade de trazer nostalgia aos corações de vocês, sim. Espero que gostem!

"As pessoas passavam empurrando-os ao se dirigirem para a saída para o mundo dos trouxas.  Alguns gritavam:- Tchau, Harry!- Nos vemos por aí, Potter!- Continua famoso - comentou Rony, sorrindo para o amigo.- Não aonde eu vou, posso lhe garantir.Ele, Rony e Hermione passaram juntos pelo portão." Pedra Filosofal - pg. 263
"E juntos eles atravessaram a barreira para o mundo dos trouxas." Câmara Secreta - pg. 287
"E, abrindo um largo sorriso ao ver a cara de horror do tio Válter, Harry rumou para a saída da estação, Edwiges chocalhando à frente, para o que prometia ser um verão muito melhor do que o anterior." Prisioneiro de Azkaban - pg. 348
"Harry piscou para os dois, virou-se para o tio Válter e o acompanhou silenciosamente para fora da estação. Não adiantava começar a se preocupar, disse a si mesmo, quando embarcou no banco traseiro do carro dos Dursley. Conforme dissera Hagrid, o que tiver de ser, será... e ele teria que enfrentar o que fosse quando viesse." Cálice de Fogo - pg. 583
"Harry sacudiu a cabeça. Por alguma razão não conseguia encontrar palavras para dizer o que significava para ele vê-los ali enfileirados, ao seu lado. Em lugar de falar, sorriu, ergueu a mão num gesto  de despedida, virou-se e saiu da estação para a rua ensolarada, com tio Válter, tia Petúnia e Duda andando depressa para acompanhá-lo." Ordem da Fênix - pg. 702
"Sua mão fechou automaticamente em torno da falsa Horcrux, mas, apesar de tudo, apesar do caminho escuro e tortuoso que ele via estender-se à sua frente, apesar do encontro final com Voldemort, que ele sabia que teria que ocorrer, fosse em um mês, um ano ou dez, ele sentiu um novo ânimo ao pensar que restava um último e dourado dia de paz para aproveitar com Rony e Hermione." Enigma do Príncipe - pg. 510
"O trem começou a se deslocar, e Harry acompanhou-o, olhando o rosto magro do filho já iluminado de excitação. Continuou a sorrir e acenar, embora tivesse a ligeira sensação de ter sido roubado ao vê-lo se distanciando dele..." Relíquias da Morte - pgs. 589/590
Apesar das despedidas, da tristeza, do olhar vazio e das lembranças, eu tenho a certeza de que nada disso vai acabar. Vestígios? Apenas sei. Apenas sei porque amo, apenas sei porque estamos tratando de Harry Potter. Como conhecer e não amar? Por sete anos Harry teve que se despedir dos seus amigos, sem a certeza de que tudo ficaria bem, e até mesmo sem a certeza de que aquilo tudo era real, e voltaria a acontecer após o verão. Vejam que até mesmo quando adulto ele sofre a dor da separação momentânea, dos três filhos.

Me despedir disso tudo está sendo complicado, muito difícil mesmo. Lembro-me daquela vez que fui à locadora de fitas e passei por um filme, o qual havia um bicho estranho (que mais tarde eu viria a descobrir que era o elfo-doméstico mais nobre de todos) e um garoto um tanto magricela. Foi ali que conheci a magia. Mas nenhum momento se compara ao que minha avó chegou em minha casa com uma caixinha nas mãos, em 2008. Ali estavam os sete livros da minha vida e o extra "Os Contos de Beedle, o Bardo". Sou grato à ela até hoje.

Com Harry Potter, aprendi o verdadeiro sentido da amizade, aprendi que mesmo não conhecendo bem as pessoas, os potterheads sempre e sempre estarão ao lado uns dos outros. Aprendi que nos momentos mais complicados da nossa vida, algumas pessoas estarão perto de nós, e tudo vai ficar bem.

O que Harry Potter uniu, ninguém separa. O Twittpotter/Patrono é um exemplo claro disso. Essa equipe nunca se separará, pois soube tirar das aventuras do garoto e homem bruxo uma lição primordial: nada se compara à amizade verdadeira. Mas infelizmente hoje estamos sofrendo o desfecho dessa história mágica escrita por Rowling. Há quase quatro anos, a segunda mulher mais rica do mundo (que ressurgiu das cinzas, como uma fênix) lançou o último livro da saga mais adorada e rentável de toda a história. E daqui a 20 dias teremos as últimas imagens. A ansiedade por mais um momento com Harry não irá mais existir. O que nos resta? Reler e rever. Para quê melhor? Assim, a magia nunca acabará. Não enquanto uma única alma acreditar nela.

À você, que se emociona com as despedidas; à você que sofreu, sorriu e viveu com Harry Potter; à você, que aprendeu as coisas mais bonitas da vida com a literatura mágica de J. K. Rowling, só tenho uma coisa para te dizer: Não é o fim, nem por isso.
0 Responses