O Oscar perdeu Harry Potter



No próximo domingo (28), será realizada mais uma cerimônia de entrega do Oscar. Apenas quatro anos atrás, nós nos sentávamos em frente à TV ou ao computador para assistir a última vez em que um filme da saga Harry Potter concorreria ao prêmio.

As três categorias em que Harry Potter e a Relíquia da Morte - Parte 2 foi indicado já não faziam jus a produção: direção de arte, maquiagem e efeitos visuais. Duas dessas vencidas por "A Invenção de Hugo Cabret", do diretor Martin Scorsese e melhor maquiagem foi para "A Dama de Ferro", filme biográfico de Margaret Thatcher. 
 A franquia Harry Potter, que ao longo de 10 anos concorreu 12 vezes ao Oscar, terminou a história sem receber ao menos um prêmio. 

O chega a ser extremamente esquisito, já que o oitavo filme da saga havia recebido várias críticas positivas, tornando-se, inclusive, a terceira maior bilheteria de todos os tempos e arrecadando mais de 1 bilhão de dólares. Fãs do bruxinho mais famoso de todos os tempos ficaram furiosos com a Academia pelo total desprezo com os oito filmes, em especial o último, em que todos estavam otimistas. 

Após uma década quebrando bilheterias, levando multidões aos cinemas em todo planeta e mostrando efeitos visuais, trilha sonora e representações que beiravam a perfeição, além de direções fantásticas, Harry Potter perdeu o Oscar. O coração apertado de todos nós, fãs, demorou para aceitar a sensação de luto pela última vez em que concorríamos, junto à nossa saga, ao maior prêmio de cinema. 

Mas se todos olharmos para trás, veremos que a recíproca não é verdadeira. Harry Potter não perdeu o Oscar. Foi o Oscar que perdeu Harry Potter. 

O Oscar perdeu os dez melhores anos da infância, adolescência e até vida adulta, de muita gente. Perdeu o friozinho na barriga ao lançamento de um novo livro e espera pelo próximo filme. O Oscar perdeu a correria para comprar os ingressos para a sessão de lançamento. E a glória de ir ao cinema caracterizado e imitar feitiços e falas com seus melhores amigos, que aliás, conhecemos exatamente por esta paixão incondicional. 



O Oscar pode ter perdido efeitos visuais fantásticos. Mas, mais que isso, também perdeu a chance de premiar a bruxa mais inteligente da sua idade, o rei e o cicatriz. O Oscar perdeu a menina que era fã de Harry Potter e resolveu fazer testes para interpretar sua personagem favorita. E o ator que só aceitou interpretar seu personagem ao saber todo destino dele na saga. Perdeu a oportunidade de dar uma estatueta para muitos artistas que se mostraram capazes de ir além da atuação. Se envolvendo tanto com seus personagens de maneira a nunca deixarem de ser lembrados por eles.

O Oscar perdeu tanto e por tão pouca coisa, que chega a ser engraçado. Os filmes premiados no lugar tiveram um sucesso passageiro pré e pós premiação, enquanto o triunfo de Harry Potter permanece intacto na memória e no coração de todos os fãs. 

O que nós não sabíamos à época era que seriamos agraciados com a adaptação de Animais Fantásticos e Onde Habitam, história que se passa 70 anos antes da saga do bruxinho. Além de uma peça de teatro chamada Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, que se tornou o oitavo livro da série. 

Não sabemos o que está por vir. Só temos a certeza de que acompanharemos com orgulho e emoção todos os próximos passos dos atores, produtores, diretores e da escritora. E que, se o Oscar insistir em negar uma simples estatueta, não deixaremos esses trouxas nos decepcionarem. Pois nós ganhamos a melhor coisa que poderíamos ter: a chance de crescer com Harry.



0 Responses