Obrigada Joanne


Há mais de vinte anos Harry Potter surgiu na mente de J. K Rowling durante uma viagem de volta a Londres. Tímida demais para pedir uma caneta e começar a rascunhar, esperou por mais quatro horas, com as ideias fervilhando em seu cérebro.

Começou a escrever "A Pedra Filosofal" naquela mesma noite. Em dezembro de 1990, enquanto ainda escrevia, um acontecimento mudou a vida da escritora e toda trajetória de Harry: perdeu a mãe, Anne Rowling, vítima de esclerose múltipla. Razão que fez com que os sentimentos de Harry pelos pais, assassinados pelo Lorde das Trevas, tenham se intensificado.

No ano seguinte, se mudou para Portugal, onde lecionaria inglês em uma escola de idiomas e levou consigo o manuscrito do primeiro livro da série. Foi onde escreveu o capítulo que se tornou seu favorito: "O Espelho de Ojesed".

Chegou, por vezes, ao que chama de fundo do poço. E aproveitou para reerguer-se e concluir o único trabalho que lhe importava. Enviou os três primeiros capítulos do livro a alguns agentes. Recebeu, pouco depois, uma carta de Christopher Little, pedindo para ver o livro completo.

Foi aconselhada a procurar um emprego, pois as chances de ganhar dinheiro com livros infantis eram ( e ainda são) realmente pequenas. Teve o livro recusado por inúmeras editoras ao longo dos anos. Apenas em 1996 recebeu a ligação de seu agente contando que a Bloomsbury havia feito uma oferta para publicar o livro.

O mercado de livros infantis, especialmente para as mulheres, era difícil e, por isso, foi encorajada a não assinar como Jo Rowling, por isso escolheu J. K. Rowling. A partir daí, a estrada para o sucesso é longa e muitos já a conhecem bem.

Até hoje, teve seus livros traduzidos para mais de 64 línguas e vendeu mais de 450 milhões de cópias em todo mundo. Já chegou a ser considerada a segunda mulher mais rica do mundo. Grande feito para quem não esperava fazer sucesso com livros.

Engana-se quem ainda considera Harry Potter coisa de criança. Pois Joanne já provou que o bruxinho é capaz de atravessar gerações e ainda ser lembrado com carinho por todos nós. Agradeço todos os dias a Joanne, por ter escrito a história, tornado minha infância e juventude extraordinária, me ajudado a suportar momento difíceis e sempre acreditar na magia. Mas agradeço, acima de tudo, por nunca ter desistido.

Joanne, como sei que já te disseram, você é a minha infância. Obrigada por isso também.






0 Responses