"Mãe, quero fazer uma tatuagem de Harry Potter"


Eu tinha quinze anos quando Harry Potter e as Relíquias da Morte - parte 2 estreou no cinema. Na época, era uma adolescente boba sem qualquer tipo de propensão a sentir a menor dor. Não gostava de tomar vacinas, injeções e tinha passado por maus bocados ao decidir colocar um par de alargadores nas orelhas. Também não tinha muita certeza das coisas e pessoas que eu queria para sempre na minha vida.

Mesmo assim, separei na internet a foto de uma menina que tinha o símbolo das relíquias tatuado na nuca e, firmemente, anunciei: 

- Mãe, quero fazer uma tatuagem de Harry Potter. 

A primeira reação é sempre a pior. Minha mãe se atirou em um discurso baseado em saber onde havia errado para que eu decidisse fazer isso. Por fim, não menos chateada, me pediu para pensar um pouco melhor. Eu era nova demais. Tola demais. E aquilo tudo poderia ser uma fixação passageira. Assim como havia sido com tudo de que fui realmente fã. 

Um ano e meio depois a informei de novo: 

- Eu ainda quero fazer a tatuagem. 

Mostrei o desenho e ela soltou um suspiro de alívio. Disse que imaginava que eu iria querer tatuar o rosto de Daniel Radcliffe ou pior, a marca negra. Me fez jurar de pés juntos que era a primeira e última tatuagem que eu faria na vida. Foi comigo e precisou explicar ao tatuador as razões de estar deixando uma adolescente de quase 17 anos definir os caminhos que queria seguir. 

Afinal, acredito que eu estava tão empolgada que nem senti dor. A agulha arranhava minha pele e marcava, eternamente, uma lembrança de Harry Potter. Na escola, alguns amigos chegaram a dizer que eu me precipitei e que me arrependeria por isso mais tarde. 

Em um período de cinco anos, fiz sete tatuagens. Duas delas são relacionadas a Harry Potter. E preciso confessar, não me arrependi nem por um segundo. Penso que todos devem pensar muito antes de fazer uma tatuagem. Especialmente aqueles que escolhem um desenho que consideram "bonito", totalmente vazio de significado. 

Mas penso também que, desde que seja algo que tocou seu coração de uma forma ou de outra. Vale a pena registrar. Penso que algum dia eu posso não ser tão fã de Harry Potter quanto eu sou agora, mas sinto que olharei para minhas duas tatuagens com o mesmo carinho de sempre, pois foi e é muito importante para mim. Guardo comigo o símbolo das Relíquias da Morte no ombro direito e o pomo de ouro no tornozelo esquerdo. Além de um coração repleto por Harry Potter. Não, eu não vou me arrepender, nunca. 

0 Responses