Emma Watson visita Malawi como Embaixadora da ONU



A atriz e embaixadora da boa vontade da ONU, Emma Watson, esteve em Malawi (África) hoje para falar sobre a importância de acabar com os casamentos arranjados entre homens mais velhos com meninas que tem menos de 18 anos. 
O evento fez parte do Dia Internacional da Criança. No local, Emma fez a seguinte declaração:

Passar o dia neste país tão bonito que é a África tem sido uma experiência inspiradora para mim. Poder conhecer estas meninas tão jovens que muitas vezes são forçadas e pressionadas a se casarem cedo, privando-as do processo de educação me faz perceber o quanto é importante que as mulheres tomem suas próprias decisões. É tão encorajador ver como uma prática tão nociva pode ser interrompida quando as comunidades trabalham juntas para aprovar leis, e em seguida transformar essas leis em realidade.

O Presidente do Malawi, Arthur Peter Mutharika, estabeleceu um prazo de 5 anos para implementar plenamente a nova lei do casamento no país. Ele também nomeou uma força-tarefa especial para esse fim. Emma avaliou a posição do membro ativo do movimento HeForShe:

O Presidente Mutharika se comprometeu a fazer do casamento infantil uma coisa do passado no Malawi dentro dos próximos cinco anos. Por causa de uma liderança corajosa e valente como esta as coisas podem começar a mudar. Foi incrível estar aqui com a ONU Mulheres para testemunhar seu trabalho!


Emma e Theresa Kachindamoto

Durante a viagem, Emma se encontrou com Theresa Kachindamoto, uma das líderes na luta contra o casamento infantil. Theresa já anulou cerca de 1500 casamentos e suspendeu chefes de aldeia que tenham consentido com a prática. Com outros líderes tradicionais, ela também desenvolveu uma lei municipal que destina-se a proibir todos os casamentos de crianças, práticas culturais prejudiciais e abusos relacionados com o gênero.

Emma ouve histórias de garotas que foram libertadas do casamento e voltaram a estudar


Na Escola Secundária Mtakataka, Watson ouviu meninas que foram libertadas do casamento e voltaram para a escola.
Entre elas, estava Stella Kalilombe, que descreveu como se sentiu ao ser forçada a casar com 17 anos, depois que a família descobriu que estava grávida. [Seu filho está agora quatro anos de idade].
Stella contou que era abusada pelo marido e resolveu voltar para a casa dos pais. Também falou sobre a importância de um grupo de mães locais, que a incentivou a voltar a estudar. Hoje, ela está determinada a terminar a escola e sonhos de se tornar professora.



0 Responses