Eddie Redmayne conta a preparação de Newt, um amante dos animais (principalmente rinocerontes)


Eddie Redmayne conta para o Pottermore como ele se preparou para o papel de Newt Scamander em Animais Fantásticos e Onde Habitam. Acontece que o processo criativo envolveu J.K. Rowling, calças curtas e rinocerontes emocionados...

“Vamos lá”, disse Eddie Redmayne. Ele está na porta de seu trailer. Está usando calças de treino, botas ugg e roupão. Ele anda até a sala e se senta em uma poltrona.

“Você ficará satisfeito em saber, sou muito fã de Harry Potter”, ele diz, com um sorriso de menino. “Eu costumava ouvir histórias sobre os filmes, e como sentiria uma família no set. Eu sempre tenho um pouco com inveja, pra ser honesto”.

Talvez é por isso, quando ele conseguiu o papel de Newt, Eddie pediu para passar uma hora com J.K. Rowling, para conversar sobre seu personagem.

“Foi uma conversa rápida. Eu só disse ‘Me conte sobre Newt’. Eu tinha tantas perguntas sobre seu passado e sua família. Era tudo sobre a visão de J.K. Rowling e como ela visualizava o mundo ao redor de Newt. Como como todos os personagens dela, Newt vem de um lugar de seu coração. Ele significa algo para ela”.

“Eu já interpretei pessoas reais com informação história disponível sobre eles, como Stephen Hawking e Lili Elbe, e foi uma pesquisa muito intensa em cima desses papeis. Mas quando Newt chegou, quem é, claro, um personagem fictício. Jo se tornou a minha pesquisa, de verdade”.
Aquele intenso cara-a-cara com J.K. Rowling não era a única pesquisa que Eddie fez para o papel. O diretor David Yates deu a Eddie tempo para treinar da maneira que ele precisasse, então ele passou muito tempo com animais na natureza, tentando entrar na cabeça de Newt.

“Um dos principais caminhos que eu fiz foi descobrir o jeito que Newt se move. Fui em um curso de rastreamento por um dia, e um cara me mostrou como viver no mundo selvagem. Eu aprendi coisas maravilhosas, como ver com visão periférica e diferentes tipos de plantas que podem ser usadas como remédios, com cuspes na sua mão".

“Mas também o caminho, se você está rastreando um animal” – Eddie se levanta do assento e assusta um casal que estavam perto do trailer, como você se assustaria se fosse andar pela floresta – “...você está tentando ser absolutamente silencioso, então coloca seu peso em um pé e meio que levanta o outro. É que para quando tocar no chão você não bater nos ramos. Há uma maneira muito delicada de andar”, diz ele continuando a demonstrar.

“Havia uma abertura no caminhar do treinador que me fez pensar, ‘Uau, vamos trazer um pouco disso. Vamos usar um pouco dessa abertura, qualidade de pé de pato como o Newt se mexe’. Eu trouxe um pouco daquilo para como Newt anda. Colleen [Atwood] fez suas calças quase tão curtas para ele, e para mim, e há um pequeno aperto no topo do casaco. Tem algo bem compacto nele. Newt é um cara compacto e que me ajudou a achar o jeito que ele se movia”.

Eddie se senta, satisfeito que ele demonstrou sua prática de rastrear animais. Mas uma enorme parte do papel como Newt é interagindo com criaturas que vivem dentro de sua maleta. Ele tinha que estudar como humanos interagem com criaturas, também. Para isso, ele passou tempo em um zoológico em Kent.

“Nós conhecemos um bebê tamanduá”, ele irradia. “Ele era recém-nascido e rastejava e ficava como uma bola. Seu cuidador fazia cócegas na barriga, e ele gritava de volta”.

Eddie demonstra apropriadamente como fica um tamanduá quando lhe fazem cócegas, e continua,

“Eu levaria comigo. Quando eu capturo o Pelúcio no filme, ele cobre sua bolsa . Eu tive a ideia ao fazer cócegas nele, então ele se vira como o tamanduá e solta as joias."

David Yates foi insistente que a relação de Newt com todas as criaturas fosse realista. Apesar, é claro, do fato que eles foram feitos na pós-produção. Eddie levou a inspiração do cuidador de animais que ele conheceu, e trabalhou o oposto de dançarinos e titiriteristas para conseguir o delineador e a memória sensorial de como ele se moveria na cena.

“Era realmente sobre a elaboração da relação que Newt tinha com cada animal e não uma relação humana”, ele diz. “Por exemplo, eu ouvi alguns sons que os cuidadores fariam. Eles não são necessariamente os mesmos barulhos que os animais fazem, mas seria algo que o animal reaja”.

“Como os rinocerontes no parque. A mulher que cuida dela iria acalmá-la quando ela estivesse triste com coceira nos joelhos e, eventualmente, o rinoceronte se move no chão. Foi uma coisa tão esquisita, mas meio maravilhosa. Esses idiossincrasias eram muito divertidos."

Além de interrogar J.K. Rowling, assistir rinoceronte emotivo, conhecer um adorável tamanduá e aprender a rastrear animais na floresta, Eddie precisava do roteiro de Animais Fantásticos para construir seu personagem.

“Você começa descobrindo muito a cada página”, Eddie diz. “Você sabe que Newt passou um ano em campo, então você tenta saber como foi aquele ano. Você sabe que quando ele tira sua camisa, ele tem marcas na pele, então você tenta saber do que são. Veja essa marca aqui”, disse Eddie tocando uma pequena linha no pulso. “Essa marca de garra é de uma batalha com o Pelúcio. É quase uma marca de guerra. Você tenta e dá para cada cicatriz uma história”.
Está claro que Eddie se tornou obcecado com Newt durante esses meses de filmagem, que ele adora seu personagem e espera que nós também. E como isso, ele é chamado de volta para o set, de volta a ser Newt Scamander.



Tradução: Beatriz Baptista
0 Responses