Feminismo Fantástico e Onde Habita


   Animais Fantásticos e Onde Habitam finalmente chegou! O filme não chegou para brincadeira  sendo que já conquistou recordes de bilheteria e também arrebentou no... Feminismo!

 De Hermione Granger e Minerva McGonagall para Bellatrix Lestrange, JK Rowling é super conhecida pelas suas fortes, apaixonadas e empoderadas personagens na saga Harry Potter, sendo essas boas ou más. Com Animais Fantásticos nada é diferente. Então pegue seu Vira-Tempo e vamos dar uma olhada em quatro momentos em que o feminismo é exposto em nosso mundo mágico dos anos 20 em Nova York.

1.As calças de Tina
 Tirando a cena do Blind Pig (cena do bar noturno), Tina Goldstein está sempre usando calças. Tendo anteriormente participado da equipe de investigação da Macusa, Tina optou pelo usos das calças, o que é aceitável se levarmos em consideração toda a correria da profissão de um Auror. Entretanto, essas calças também representam traços do feminismo em 1926. Com a conquista do direito à voto, o feminismo foi crescento gradualmente, à mesma medida que a moda ia se modificiando. As saias estavam ficando mais curtas e as calças, as quais antes eram de uso incomum pelas mulheres,  se tornaram mais populares (essa aceitação pela sociedade só se consolidou de fato em meados do século XX). Isso tudo sugere que Tina estava a frente de seu tempo?

2.Seraphina Picquery
 Seraphina nos é apresentada já no início do filme como presidente da Macusa. Ela é altamente respeitada e considerada, como podemos analizar na cena da reunião de emergência com os líderes mundiais do universo mágico. Mesmo cometendo erros e não sendo totalmente perfeita, o fato de termos uma mulher em um cargo tão elevado é inspirador, visto que no mundo dos No-Majs, nenhuma mulher havia virado presidente dos Estados Unidos, realidade que acontece até hoje. Contudo, Seraphina não foi a primeira, voltando no tempo, uma mulher chamada Emily Rappapor foi presidente da Macusa no século XVIII.

3.Queenie Goldstein
 Atracada aos seus vestidos cor-de-rosa que fluem em harmonia com seu cabelo loiro enrolado, a aparência de Queenie conforma-se com os ideais do esteriótipo feminista da época. Ela é citada constantemente por sua beleza, o que não interfere no fato de uma bruxa qualificada uma poderosa capacidade de legilimência. Ao longo do filme, Queenie se mostra livre de espírito, rebelde e as vezes bem manipuladora, afim de ajudar a salvar o dia. É bom ter uma figura feminista, que ao mesmo tempo em que tenta proteger o mundo mágico de Nova York, é muito feminina.

4.Aurores
 Aurores, personagens que, assim como nos filmes de Harry Potter, têm um papel de peso em Animais Fantásticos. Depois de ter assistido pela segunda vez o filme, ficou evidente que havia uma divisão igual do número de aurores masculinos e femininos (equilíbrio visível em cada cena em que eles aparecem). Quer provas disso? Só pegue qualquer aparição dos aurores, seja nos traileirs ou no próprio filme, sempre é notável essa distribuição ao redor de Percival Graves e Seraphina Picquery. Há até uma cena enteiramente dedicada para mostrar os saltos de uma delas.


É impressionante ver um filme retratando o feminismo de tantas maneiras diferentes, em particular nos anos 20 em que o conceito de igualdade de gênero estava se tornando um pouco usual. Se você ainda não assistiu o filme, preste atenção nesses detalhes. Já viu o filme? Então assista de novo para mergulhar novamente nesse universo mágico de JK Rowling.

Texto Traduzido do site MuggleNet. Artigo original em inglês: http://www.mugglenet.com/2016/11/fantastic-feminism-find/
0 Responses