20 anos da verdadeira magia de Harry Potter


Hoje, 26 de junho de 2017, comemoramos 20 anos do lançamento de Harry Potter e a Pedra Filosofal. Para celebrar essa data que marcou o início de uma enorme geração de fãs, vamos relembrar porque os livros de Harry Potter são tão significativos para nós e como eles mudaram quem somos ao longo dos anos.

Quando abrimos Harry Potter e Pedra Filosofal pela primeira vez fomos apresentados à um mundo mágico totalmente novo. Esse mundo é cheio de aventuras, criaturas mágicas e feitiços que fazem coisas sensacionais. Contudo, essa não é a verdadeira magia por trás dos livros de Harry Potter. A magia real contida nos sete livros de J.K. Rowling está no fato dessa incrível autora ter feito a gente se emocionar, chorar, darmos inúmeras risadas, ficarmos aflitos e, principalmente, aprendermos muito cada vez que folheamos repetidamente as páginas que ela escreveu.

Harry Potter nos mostrou como o amor é a maior proteção contra qualquer tipo de maldade. Parafraseando Dumbledore, "Se existe uma coisa que Voldemort não consegue compreender é o amor... Ter sido amado tão profundamente, mesmo que a pessoa que nos amou já tenha morrido, nos confere uma proteção eterna", o mal não poderia tocar o Harry.

Também foi o amor que uniu três jovens bruxos completamente diferentes na luta contra o mal. Todas as batalhas que o nosso trio favorito lutou contra as forças das trevas nos mostrou muito mais que jovens aventureiros que quebravam o regulamento da escola sempre que possível. Harry, Rony e Hermione nos mostraram o valor da amizade verdadeira e que, mesmo em tempos difíceis, devemos ser leais a quem amamos e ao que acreditamos.

Harry Potter nos ensinou sobre tolerância e respeito às diferenças. Não importa se somos puro-sangues, mestiços ou nascidos trouxas. Todos merecem, sem distinção, serem respeitados com todas as qualidades e defeitos. De Pedra Filosofal a Relíquias da Morte, J.K. Rowling conseguiu provar que devemos viver em um mundo sem preconceitos.

E já que devemos ser tolerantes, precisamos relembrar também que os livros de Harry Potter nos ensinaram que estereótipos devem ser quebrados e que ninguém é perfeito. Até um velhinho simpático e sábio está sujeito a cometer erros "pelo bem maior". Sonserinos são capazes de amar e também são heróis, nem todo Grifinório é necessariamente honrado e corajoso e Lufanos também podem ser campeões.

Harry Potter nos mostrou que dois gêmeos muito inteligentes e empreendedores nunca cometeram bullying para serem populares e engraçados na escola. Exceto contra a Umbridge, talvez, mas aquela sapa velha mereceu. E, citando os Weasley mais uma vez, precisamos lembrar também que Harry Potter nos ensinou, principalmente através da família do Rony, que ninguém precisa de galeões, sicles e nuques para construir um lar de verdade.

Os livros da J.K. também nos fizeram enxergar como as mulheres podem ser fortes, determinadas e não precisam ficar à sombra de nenhum homem para serem bem-sucedidas em seus objetivos. Neles, também entendemos que está tudo bem sermos "tão normais" quanto a Luna e que algumas vezes na vida nos deparamos com situações nas quais, assim como o Neville, temos de enfrentar nossos próprios amigos para defender aquilo que acreditamos.

E, se em algum momento na vida você se deparar com um dementador, resgate na sua memória a sua melhor lembrança e grite Expecto Patronum o mais alto que conseguir. Não deixe que a tristeza e a depressão te consuma. Qualquer problema, por pior que seja, passa. Basta que você lembre sempre de acender a luz. Ah, e comer uma barrinha de chocolate também ajuda.
2 Responses
  1. Rafaella Says:

    Ameeeeeeeei!!!! Você soube colocar em palavras o sentimento, o amor e tudo que aprendemos ao longo desses 20 anos com HP, é uma série mais do que especial, nos tempos que nos encontramos devia ser obrigatório. Se todos lessem HP e aprendessem esses ensinamentos viveriamos em um mundo melhor, mas aprendemos c HP também, que infelizmente o mal nunca morre, mas o que importa é que sempre tenha amor pra lutar contra!!


  2. Obrigada, Rafaella!
    Só pelo seu comentário já valeu a pena ter escrito a publicação. Não poderia concordar mais com vc ;)